Marketing em 2019!

👍 #1 Facebook+Forte 

Que morte que nada, o Facebook em 2018 seguiu firme e alcançou mais de 127 milhões de usuários ativos mensalmente no Brasil. Claro que pelos rolos legais teve perda de valor na bolsa e o tio Mark perdeu alguns dólares, depois as ações se recuperaram, mas nada disso influenciou sobre o uso da rede. Um ponto importante é que a tendência de crescimento se manteve nos meses finais do ano, e enquanto pesquisas apontam que o público mais jovem tem buscado outras redes, o público economicamente mais ativo, na faixa entre 25 e 35, e dos 40 aos 55, tem ajudado nestas taxas de crescimento.

Então, nada de pensar em migrar para o Instragam, a dica é estar presente nas duas redes, cada uma com a sua linguagem, métrica e ou estratégia.

👍 #2 Instagram+humano

Menos robôs, mais pessoas – esta é a pegada do Instagram em 2019. . As ferramentas que automatizam e simulam ações humanas estão sob vigilância, na prática são proibidas, mas a fiscalização do app ainda não é tão eficiente, porém, muitas contas tem sido bloqueadas e até delatadas pelo uso do recurso e a rede anunciou a atividade de uma machine learning, uma espécie de código que vai ficar aprendendo a identificar estas automações para localizar os “infratores”.

A minha dica é clara: faça muitas publicações nesta rede, que possui 40% mais interações que as demais, porém, quando tiver que responder, curtir, seguir outras pessoas, faça manualmente, nada de contratar robôs e estará tudo certo, os resultados virão.

Quanto a conteúdo, o foco aqui são fotos – entendeu – foco x fotos 👍 brincadeira a parte, legendas mais curtas e imagens que instiguem a reação, que sejam atrativas, naturais, reais, o Instagram não é um lugar para encher de anúncio com layout, neste ponto, aqui, a realidade e a naturalidade tem mais força.

👍 #03 Guerra contra Ilegalidades 

Se você adora uma promoshare, utiliza de automações que simulam ações humanas como seguir e mandar mensagens automáticas pelo instagram ou compra mailings, abandone estas práticas! 👎

Facebook e Instagram vem adotando medidas de punição para páginas que utilizam estes recursos, e outras regulamentações da internet também geram penalidades para empresas que adotam práticas como as citadas ou outras, como uso de fazendo de curtidores, curtidas fakes, sorteios sem registro, enfim, tudo isso já tem medidas que punem quem as utiliza porém a promessa para 2019 é de aumento na vigilância e penalidades mais severas. 👍

Dica: NÃO FAÇA!

Lembre-se: número de curtidas, números de compartilhamentos, comentários e afins não pagam contas, o que importa na rede é audiência, alcance, e real, passe a ver as redes como veículos para distribuir sua mensagem.

👍 #04 Vídeos e mais vídeos

A tecnologia, redes sociais e evolução do mobile tornou o dia a dia mais ágil e reforçou a ideia de os dias passam cada vez mais rápidos, e embarcando nesta sensação, em algumas situações conteúdo em vídeo (e podemos dizer também em áudio) levam vantagem frente a conteúdo que exige leitura. Mais dinâmicos, os vídeos tem melhor engajamento e podem ser mais claros e melhor compreendidos na distribuição de uma mensagem.

A onda vem forte em 2019, comunique-se através de vídeos!

E não estamos falando só de “comercial”, de filmes produzidos, é momento de utilizar da naturalidade, conversar com o consumidor, então, perca a vergonha e comece logo a fazer vídeos convidando seus clientes para irem até a sua loja, divulgando promoções, distribuindo informação, compartilhando ideias, tudo  para obter melhor desempenho em suas vendas.

👍 #05 Stories em todas as redes

Não tem como duvidar que o formato do Stories do Instagram é um sucesso, tanto que o Facebook levou o recurso dos vídeos curtos ativos por 24h para a sua estrutura e o YouTube, a seu modo, criou o Reels, uma espécie de storie, porém aqui os vídeos podem ter até 30 segundos e o autor determina por quanto tempo estará ativo, podendo se manter para sempre no canal, falando nisso, o recurso só foi liberado para os “creators”, pessoas que produzem material para a rede e que tenham no mínimo 10 mil inscritos.

O importante é perceber que o usuário gosta de consumir conteúdo neste formato e sua empresa precisa planejar conteúdo para este recurso – sim, planejar – não adianta pegar o post do facebook e colocar aqui.

O formato e a linguagem são mais dinâmicos e podem ser informais, então, planeje rapidamente e comece logo a utilizar em sua comunicação.

👍 #06 Conteúdo digital, o artigo 13 e o direito autoral

Isso tem deixado muito produtor de conteúdo de cabelo em pé, ou sem eles!

A Europa aprovou um artigo de lei que regulamenta e fortalece a propriedade de conteúdo, com punições pesadas para quem infringir o direito autoral, para canal e para a rede. O problema é que a lei é tão radical que se você estiver usando uma camiseta com a logo da Adidas no seu vídeo, o mesmo não poderá ir ao ar. Não que a Adidas vai te processar, mas as redes não querem correr o risco devido as multas previstas, então, o filtro será agressivo – nada vai passar.
Exemplo: se você produzir um vídeo para o YouTube, e no seu cenário, lá no fundo, como decoração, tiver uma estátua do mestre Yoda, seu material já estará infringindo este artigo e será removido. Imaginem só um documentário, se no mesmo aparecem cenas ou fotos históricas, seu vídeo não será exibido.
Nesta mesma linha, canais de cinema, com reviews de filmes, que produzem conteúdo com análises sobre o que apareceu nos trailers, com trechos e cenas, não poderão mais exibir este tipo de conteúdo. E de certa forma, a lei de lá, alcançará alguns bons produtores brasucas, que distribuem conteúdo sobre história e cinema, por possuírem forte audiência no continente europeu.
Para evitar problemas, produza conteúdo original, desde o cenário até o que for apresentado no vídeo.

👍 #07 Foco nos leads

Pare de pensar em curtida, isso não vai pagar as suas contas, pense em alcance, em volume, audiência, porém, também não adianta alcançar um grande número de pessoas e não ter como conversar com elas depois, não saber quem são e seus contatos diretos – você precisa converter sua audiência em leads!

CADASTROS – É disso que você precisa!

Aquele cadastro que você faz seu cliente preencher em uma loja física ou em algum formulário na web devem servir para sua empresa construir um relacionamento, fazer contato direto com mensagens personalizadas e nutrir uma relação, não é só para mandar feliz aniversário.

O lead é um cadastro que você deve manter ativo, enviando conteúdo, entendo seu comportamento e guiando ele até o momento da compra, depois, mantendo ele por perto para que este possa se tornar um divulgador de sua marca e voltar a consumir seu produto ou serviço. É alguém para você estar constantemente conversando, e mantê-los por perto para depois converter em novas vendas é sempre mais barato do que buscar a todo momento uma audiência sem nome.

LEADS! Anota aí, você precisa deles, de muitos deles!

👍 #08 Mostre o preço

Aqui não vamos nem nos estender, a dica é simples e óbvia quem quer vender MOSTRA O PREÇO!

Publicação nas redes ou sites com – “me manda uma mensagem que te mando email ou alguém te liga para dar o preço” – isso só atrapalha, o consumidor web esta cada vez mais prático, mais seguro ao comprar e com mais capacidade de pesquisa e análise, então, enquanto você fica escondendo os preços de seu produto nas redes, vai ter um concorrente publicando conteúdo com o produto, o preço, a forma de pagamento e um link para conversar diretamente com ele por email ou whatsapp e fechar a venda na hora.

MOSTRE O PREÇO!

👍 #09 Venda online! 

Importante é enxergar a loja virtual como uma outra unidade de sua empresa aonde a diferença está no endereço virtual – recomendo CNPJ distinto e estoque separado. É preciso empenho, planejamento, bons fornecedores, negociações equilibradas e portfólio de produtos, equipe dedicada (nada de dividir função de colaborador entre a loja física e a virtual), investimento em marketing e em publicidade, em sistemas de gestão, um bom CRM, sistema de gestão, planejamento e assessoria jurídica e claro, um processo bem elaborado de logística.
A grande vantagem? INFORMAÇÃO CLARA!
Recursos para análise de dados do que está funcionando, quais investimentos, formatos e canais converteram em vendas, o que está vendendo mais, quem realmente é seu cliente, prever movimentos de consumo, e tudo isso de forma muito rápida para a sua avalição, ou seja, ser assertivo e perder menos dinheiro, sem falar que o custo do investimento em anúncios digitais é muito mais baixo do que de espaços em mídia offline, rádio, tv e jornal.
Só o fato de você investir em canais digitais e saber exatamente o resultado deste investimento já é um incentivo e tanto, e outro é o comportamento das vendas online que crescem ano a ano, juntamente com o aumento do número de consumidores online.

👍 #10 Email, ah como é importante!

Esta dica vai ser curta e direta: USE EMAILS EM SEU MARKETING DE RELACIONAMENTO E VENDAS!

Primeiro, praticamente todo mundo tem um email, qualquer ação na web exige um, e ao mesmo tempo apesar de toda a evolução e novos meios de contato, Messenger, whastapp, sms, o email segue tendo um dos maiores e melhores indicies de atenção, isto é, se você esta em uma rede social, na timeline, uma mensagem ou anúncio que chega, disputa a sua atenção com centenas de outras, por vários canais paralelos, enquanto ao abrir o seu email – você abre o seu email 😉 – o foco de atenção esta na tela da mensagem, no texto que é contemplado pelo navegador a ocupar a sua área de visão, sem ter anúncios pipocando junto a ele, assim, este dado de atenção mantém o email relevante, além da condição de ser um método de mensagem que gera dados importantes para análise, como entrega, abertura, tempo de leitura e clique.

👍 #11 invista em meios OOH ou DOOH

Não entendeu? Vou explicar 😉

A Mídia Out of Home ou Digital Out of Home, é a propaganda exterior, qualquer publicidade que fale com o consumidor enquanto ele está fora de casa, ou seja, estamos falando de comunicação em pontos de ônibus, outdoor, painéis digitais, telas em lojas, shoppings, vitrines, mercados, elevadores, mensagens na tela do celular disparadas por sistemas de localização, ou seja, sua comunicação pode acompanhar o cliente mesmo quando este estiver andando pela rua, sem depende do computador, ou dos tradicionais meios como TV, jornais e revistas.

Pense qual destes canais se alinham com seu produto e ou serviço e avalie como integrar isto a sua comunicação.

👍 #12 Outbound

O outbound não morreu!

Pensar digital é legal, claro, necessário, sua empresa precisa de uma presença digital relevante, profissional, adequada e otimizada, dito isto, não suma dos olhos de seu cliente, o contato pessoal tem muito valor, provocar todos os sentidos do seu cliente sempre será uma boa estratégia, então a ideia não pode ser de substituir o digital por tudo, você precisa manter linhas de comunicação interruptiva, isto é, comerciais pagos!

Seja na tv ou na rádio, e até mesmo no digital, investir em anúncios de interrupção sempre será necessário, em alguma momento você precisa “forçar” a entrada para a atenção do cliente, então, em vez de ir só por um caminho, a proposta é equilibrar.

Quer mais audiência em seu website, vai ter que fazer outbound contratando anúncios digitais. Quer vender mais em sua loja física, em algum momento um comercial na rádio ou na tv podem ajudar.

A dica é PENSE DE FORMA AMPLA E MULTICONETCADA – não descarte meios e canais, planeje e reavalie constantemente seus resultados.

👍 #13 Inbound

Conquistar clientes, construindo relações duradouras através do marketing de conteúdo e do marketing de relacionamento, reduzindo custos e otimizando vendas, essa é a matriz do objetivo do inbound marketing.

A proposta é de estar sempre analisando o comportamento do consumidor, a jornada de compra, a etapa em que ele se encontra e o momento certo de fechar a venda, depois, reforçar a relação, porém tudo isso exige muito esforço, inteligência estratégica, produção de pontos de encontro entre seu produto e o consumidor, investimentos em sistemas de gestão, email marketing, analisadores de tráfego, otimizadores, tracking, geradores de relatórios e por ai vai – o bom é que tem plataformas que integram tudo isso em uma só ferramenta 😉

Isso leva tempo, não funciona se você precisa fechar uma venda amanhã, é uma estratégia de longo prazo, e que por isso, precisa ser combinada a outros processos para manter a máquina de vendas funcionando. O legal aqui, é que, quando começa a trazer retorno, se auto sustenta, otimizando resultados.

A dica é COMECE AGORA MESMO SEU PROJETO DE INBOUND!

👍 #14 Comportamento do consumidor

Quem é que compra de você?

Se você não sabe quem é o consumidor do seu produto ou serviço, para tudo agora mesmo!

Não estou falando de generalizações e alvos amplos, não vale aquele “eu acho que meu público vai de 15 a 75”, cada vez mais você precisa saber para quem você vende e para quem quer vender, utilizando a estratégia de identificar as personas, dando nome, ocupação, gosto e estilo, o que for possível de identificar baseando-se no seu público atual, no mercado, relatórios de consumo, nicho e estudos, muitos estudos.

A condição de saber para quem você vende, quem é esta pessoa, o que faz, do que gosta, irá lhe trazer informações essenciais de como comunicar, atribuir valores e argumentos de venda, otimizando resultados, evitando erros de posicionamento.

Se a pergunta que fiz acima traz resposta incerta ou no “achometro” foque em planejar este ponto antes de dar seguimento a suas estratégias de marketing e publicidade. Clique no link abaixo e siga os passos.

Persona: como e por que criar uma para sua empresa

👍 #15 Neuromarketing

O encontro da neurociência com o marketing tem por objetivo entender quais as variáveis que fazem um consumidor escolher entre comprar ou não um produto, consumir ou não um conteúdo específico.
O comportamento do consumidor é chave para aumentar a retenção de clientes e consequentemente melhorar as vendas, e a questão aqui não é layout da campanha publicitária, mas o todo de tudo, as cores, a fala, a escrita, o estilo e comportamento da marca, variáveis que podem despertar diferentes reações.
Ao falar em neurociência e a relação com os conceitos de marketing, estou tratando de avaliar a embalagem, a peça publicitária, a mensagem, a forma da escrita e até da fachada de sua loja, o aroma, a organização dos móveis e exposição dos produtos, tudo isso passar pelo contexto da experiência do cliente e irá gerar algum tipo de resultado.
Complexo? Sim. Necessário entender? Muito.
Atualmente tem muita literatura sobre o assunto e a minha dica é: tire um momento para ler sobre isto. A proposta é encontrar um meio de você ampliar a sua visão e perceber detalhes que podem influenciar no momento da escolha e ou da compra ou então corra e contrate um especialista no assunto, afinal aquele cartaz feito às pressas pode ser mais nocivo do que você poderia imaginar.​

Leave a Reply